Mei Mei

GRUPO MEI MEI

 O Grupo de Meimei foi iniciado há um ano e seu objetivo principal é ajudar mulheres carentes que carregam em seu ventre, bebês que retornam a este mundo tão hostil, com um enxoval lindo e confortável para envolvê-los com todo amor. É um trabalho grandioso, pois temos a oportunidade de estarmos mesmo de longe, acolhendo e confortando estes espíritos que estão chegando neste mundo e cada ponto, cada peça confeccionada, cada kit montado, é feito com tanto amor por nossas voluntárias, é em realidade uma prece, uma vibração de bons fluidos, para que sigam no caminho do bem. O nome do grupo é uma homenagem a Meimei, que ao retornar ao mundo espiritual, trabalhou no Lar da Benção, com crianças desencarnadas, (citado no livro Entre a Terra e o Céu, de André Luiz). E desde então, auxilia na Evangelização Infantil e em tudo o que envolve crianças. Temos nela, nossa mentora que com sua falange de espíritos auxiliares, nos ajudam, nos inspiram e nos amparam nesta tarefa de amor.

O Mei Mei fornece às gestantes carentes, enxoval completo para o bebê. Apoia às mulheres ensinando-lhes técnicas manuais de Crochê, Tricô, Costura Criativa, Macramê e etc, incentivando-as em sua autoestima ampliando a fraternidade universal. Parcerias com a Santa Casa e outras entidades garantem que nossos enxovais confeccionados com tanto carinho cheguem às mães carentes da região.

Qual o perfil para receber o enxoval?  Ter cadastro no SUS (Sistema Único de Saúde); Estar cadastrada em algum programa como o Bolsa-família ou similar; Ter feito o pré-natal na rede pública de saúde; Ter renda igual ou inferior a um salário mínimo; Morar de aluguel ou lugar inadequado; Ter mais filhos; Ser portadora de alguma deficiência; Ter algum tipo de vício;

Quais as condições de entrega do enxoval? Preencher uma ficha cadastral fornecida pelo Grupo Meimei ; O enxoval será recebido pela própria mãe ou algum familiar responsável. 

Itens do Enxoval:  01 Manta ou Edredon ou Cobertor;  01 Lençol com fronha;  01 Toalha de banho;  02 Cueiros;  02 Fraldas de pano;  02 Babadores;  02 Panos de boca; 02 Macacões: P e M; 02 Mijões: um com pé e o outro sem pé; 02 Bodies com manga e sem manga; 1 Kit em lã contendo: (1 casaquinho + 1 gorro +2 pares de sapatinhos); 1 Kit de Higiene (1 sabonete + 1 lencinho descartável + 1 pomada contra assaduras + 12 fraldas descartáveis); 1 Trocador

Qual o impacto social esperado : A Associação Espírita Sementes da Boa Nova através do Grupo Mei Mei, entende que sua atuação junto à sociedade, contribui para a redução da ocorrência das diversas situações de vulnerabilidade social para o município de Ubatuba com abrangência ao CRAS; CREAD e ao CAPS, além da prevenção de ocorrências de riscos sociais e seus agravamentos ou reincidências no município pelo uso das drogas; diminuindo por sua vez, um possível aumento de acesso a serviços socio-assistênciais e setoriais praticados pelo município. Melhorando de forma geral, a qualidade de vida das famílias residentes em Ubatuba.

 

Quem foi Mei Mei?

Seu nome completo quando em vida era: Irma de Castro Rocha. Nascida em Mateus Leme (MG), era filha de Adolfo de Castro e sua esposa, Mariana de Castro. Aos dois anos de idade a família transferiu-se para Itaúna. Aos cinco anos de idade ficou órfã de pai. É referida como uma criança bonita e inteligente, alegre e espontânea. Cursou o ensino fundamental, matriculando-se na Escola Normal de Itaúna. Primeira aluna da classe, no segundo ano do curso foi obrigada a abandonar os estudos por conta de uma nefrite que deixou-a acamada. Posteriormente melhor de saúde, mudou-se para Belo Horizonte em companhia de uma de suas irmãs mais velha, Alaíde, a fim de arranjar um emprego. Começou a trabalhar como substituta numa escola paroquial. Nesse período conheceu Arnaldo Rocha (1922-2012), com quem casou-se quatro anos depois, aos 22 anos de idade. O matrimônio durava há apenas dois anos, quando voltou a adoecer de nefrite. Permaneceu acamada, vindo a falecer de insuficiência renal aos 24 anos, em 1 de outubro de 1946, na capital mineira.

Cerca de cinquenta dias após a morte da esposa, Arnaldo Rocha, acompanhado de seu irmão Orlando, que era espírita, descia a Avenida Santos Dumont, em Belo Horizonte, quando avistou o médium Francisco Cândido Xavier. O próprio Arnaldo narra o ocorrido:

Chico olhou-me e disse: ‘Ora gente, é o nosso Arnaldo, está triste, magro, cheio de saudades da querida Meimei…’ Afagando-me, com a ternura que lhe é própria, foi-me dizendo: ‘Deixe-me ver, meu filho, o retrato de nossa Meimei que você guarda na carteira.’ E, dessa forma, após olhar a foto que lhe apresentara, Chico lhe disse: ‘- Nossa querida princesa Meimei quer muito lhe falar!’ 

Naquela mesma noite, em reunião realizada em casa de amigos espíritas, o espírito de Meimei deixou a sua primeira carta psicografada. Com o passar dos anos, o médium mineiro foi revelando aos amigos mais chegados que Meimei era o mesmo espírito chamado Blandina, citada por André Luiz na obra “Entre a Terra e o Céu” (capítulos 9 e 10), que morava na cidade espiritual “Nosso Lar”; referiu ainda que Blandina era a filha de Taciano e Helena, que Emmanuel descreve no romance “Ave Cristo”, e que viveu no terceiro século depois de Jesus. Os seus textos encontram-se em diversas obras mediúnicas, como “Pai Nosso”, “Amizade”, “Palavras do Coração”, “Cartilha do Bem”, “Evangelho em Casa”, “Deus Aguarda” e “Mãe”. É homenageada por dezenas de casas espíritas em todo o país, que adotam o seu nome.

Texto retirado da Wikipedia

Comentários Sementes da Boa Nova

×

                         

Email to contato@sementesdaboanova.org

× Atendimento Fraterno